Tão importante quanto o posicionamento das cinturas, está o posicionamento das colunas: Lombar, torácica e cervical. Para que a coluna seja saudável, a mobilização em todos os planos de movimento é aconselhável. No plano sagital (mediano), temos a flexão e extensão. No plano coronal (frontal) temos as flexões laterais e no plano transversal (horizontal) temos as rotações.

  • Coluna lombar: A coluna lombar é formada por 5 vértebras e possui uma convexidade anterior (lordose). É uma das regiões da coluna que menos possui movimento e mais absorve impactos. Normalmente dores acontecem nessa região devido a falta de força, falta de mobilidade e mal posicionamento durante exercícios. Devemos corrigir os alunos sempre que forçarem em excesso essa região durante as extensões de coluna e com o posicionamento em cadeia cinética fechada, pois a tendência é pressionar a coluna contra o chão sem ativação muscular dos abominais.
  • Coluna torácica: A coluna torácica é formada por 12 vértebras e possui uma convexidade posterior (cifose). Algumas pessoas possuem essa cifose mais acentuada (hipercifose) e necessitam fortalecer a musculatura posterior das costas para equilibrar o trabalho muscular e melhorar a postura. A coluna torácica deve estar bem posicionada durante os exercícios mantendo sua curvatura normal, principalmente quando acontecem os movimentos dos membros superiores, que tendenciam à perda desse alinhamento.
  • Coluna cervical: A coluna cervical é formada por 7 vértebras e possui uma convexidade anterior (lordose). É a região final do esqueleto axial, devendo manter o prolongamento da coluna torácica. Seu bom posicionamento alivia tensões na musculatura ao redor e nos ombros. Deve acompanhar a movimentação da coluna torácica em todos os planos e se manter estabilizada na mesma direção da coluna torácica quando em exercícios que não movimentem a coluna.